Boiando em Moçambique

Desventuras de Rafael Moralez na África


2 Comentários

Sartre, punqui, outono e skin reds

 

Montparnasse tá ficando com cara de inverno

 

O inverno está chegando, na verdade estamos no outono mas tá frio e a cidade vai mudando aos pouquinhos. Os picnics nos jardins e parques acontece com menos frequência, sempre tem uma blusa na mochila, o vinho além de ser gostoso de beber carrega um certo calor pro nosso corpo e andar de bicicleta fica mais doído. O vento gelado corta o rosto. Estou ensaiando para dar mais uma volta de madrugada de vélo mas da uma preguiça danada. fui ver o Sartre e a Simone de Beauvoir ontem, estão lá os dois bem quietinhos, pensando na morte da bezerra. Depois pra variar fui num show de punqui rock que foi ruim pacas. Tinha um grupo grande de skin reds que não tem nada a ver com nazismo, é o skin red original que curte o som numa boa e não se importa com essa coisa de nazi não, aliás a banda skin foi a melhor da noite. Hoje eu não sei o que vai acontecer, como se algum dia soubéssemos!

Acho que visitar o Sartre me deixou um pouco confuso!

 

O homem, a árvore!

 

 

Sartre e Simone

 

 

Archi

architectural

 

 

Cai o sol...

 

 

Show skin red - Paris 2010

 

 

Show punqui - Paris 2010

 

 

Lugar bom para ouvir música pesada ruim!

 


Deixe um comentário

Vélos II

As bicicletas estão presentes o tempo todo. Ainda bem!!! E elas refletem muito a personalidade de seu proprietário. Eu penso isso pelo menos! Sempre que vejo alguém com essas mountain bikes de 70 marchas feita pela Nasa e que suporta profundidades de até 400 metros sinto uma coisa estranha! Pra que você quer uma super suspensão que aguenta 7 toneladas. Sei que tudo isso deve ter sua função para os competidores e profissionais do esporte, mas eu curto mesmo é pedalar por aí!

Ando fotografando algumas pela cidade… …lá vai!!!

Clássica

Bicicletas refletem a personalidade do dono!

Bicicletas refletem a personalidade do dono!

 

Desmanche ao ar livre

La poste... ...é bonita, mas pesaaaaada!

Monaretas

 

Strange people!

 

Sinuca

 

 

Quindim

 

Eu prefiro o meio de transporte branco!

 

 


Deixe um comentário

Abelhas, bicicletas, hardcore e o eixo da terra!

Tem dias com números interessantes, me lembro do dia 01/01/01, estava em Londrina e escrevi a data várias vezes.

Domingo foi 10/10/10 e teve uma baita manifestação aqui em Paris contra o aquecimento global chamada Global day, alguns shows, a francesada reunida nas praças e todo mundo andando de bicicleta.

 

liberté, egalité fraternité... ...franceses em manifestação!

Fiquei sabendo de uma bicicletada aqui, é um tipo de manifestação que acontece em São Paulo também, funciona da seguinte maneira.

Você junta o máximo de pessoas possível e organiza a parada de forma que ninguém se machuque, daí é só conduzir todo mundo de bike pelas ruas mais movimentadas da cidade de forma a azucrinar o maior número possível de motoristas, enquanto tudo isso acontece você pode olhar e rir da expressão dos motoristas de carro enquanto esperam as bicicletas passarem.

O evento tinha a saída programada para sair da frente do Louvre e lá fui eu. Achei que ia ser barulhento e uma baita festa, mas nada disso, todo mundo andando comportadamente e as vezes um ou outro tocava a campainha “trim, trim”… …adrenalina total!

 

 

Bikers reunidos antes do trim-trim coletivo

 

Saí em disparada ultrapassei todo mundo e filmei a passagem da turba, veja no vídeo abaixo:

http://www.youtube.com/watch?v=gY1gNs7CXAE

Depois fui no Canal Saint Martin porque estava um dia bonito de sol e eu gosto daquele lugar, é bonito pacas!

 

Aqui, quando se tem sol ele é aproveitado!!

Se São Paulo tratasse seus rios poderíamos ter lugares maravilhosos, e tive a oportunidade de ver uma mini-orchestra-de-abelhas-perna-de-pau, veja o vídeo abaixo:

http://www.youtube.com/watch?v=IjQyQNs__GM

 

 

As maiores abelhas do mundo tocavam standats do jazz, divertido!

 

Pra fechar o dia bem fui ver um show de hardcore que prometia ser pesado pacas, lá fui eu de novo sheio de boas intenções e qual minha surpresa ao perceber que eram umas bandas nada pesadas. Tinha uma só que era legal as outras eram de lascar o cano da botina.

Encontrei o pino da terra, fica na periferia de Paris, em um lugar que chama Noisy-champs!

Fui !!!

 

 

Axis, parece Niemeyer, mas não é!!!

 


Deixe um comentário

Castelos e zumbis

Todo rei tem seu castelo!

Mesmo que seja o da Pamonha que fica ali na Rodovia Castelo Branco! Aqui não é diferente, esse povo gosta pacas de castelo.

Pena não conhecerem todo o potencial daqueles destinados ao comércio de gostosuras feitas a base de Zea mays, ou milho para os mais íntimos do cereal em questão! Dias atrás fui ao Chateau de Vincennes que fica uns 30 minutos de bicicleta daqui do centro de Paris, e ele é bem legal!

Não tem a mesma graça e elegância que o da Pamonha... ...gosto daqueles arcos verdes e amarelos que lembra um milho e tals...

 

 

Não é grande não, mas tem um fosso interessante, nunca tinha visto um, e é realmente surpreendente… …puxa vida como um fosso muda a vida da gente não! Tem também a fossa que essa sim pode mudar a vida da gente. (Nossa esse trocadilho foi de matar de ruim!!!)

 

 

Maravilha de fosso hein!!!

 

E pra variar um igrejona dentro dos muros do castelo, pois conexão com o supramundano, o mundo do Jéza, não pode faltar quando se trata de reis, e essa sim é bem bonita, grande, alta, faz a gente se sentir um radinho de pilha lá dentro. Mas pergunto:

De que rei estamos falando?

Do rei do futebol Pelé?

Do rei Roberto “Beto”Carlos?

Do rei do baião Luiz Gonzaga?

Do rei dos reis , pai do Jéza?

Ou do verdadeiro rei… …sim o VERDADEIRO REI ELVIS “The Pelvis” PRESLEY, o rei do rock!!!!

Esse sim era rei. Era nada, tudo mentira, o rei do rock é o Jerry Lee Lewis, o Elvis era produto de uma gravadora lá dos EUA que eu não sei o nome, mas li isso em um livro. O Elvis era maior fantoche, mas tem carisma, e eu gosto dele e pronto!!!

 

 

Igreja em PB... ...foto arte... ...texturas...

 

 

 

Dentro da igreja, pé direito alto pra mostrar como você é pequeno diante de deus!

 

 

 

Belos vitrais, mandalas certo?

 

 

 

Gargulas do lado de fora, yeah!!!

 

Depois do castelinho da Pamonha fui em um show de rock zumbi e vi uma banda bem legal tocar rock limpo, rápido e simples, sem frescura. A banda chama The Cavaliers, filmei uma música no show e tá no youtube nesse link aqui ó:

http://www.youtube.com/watch?v=3k1cRi7bUew

Depois fiquei umas duas horas conversando com três zumbis que eram bem divertidos. Sim, porque se você estivesse vestido de zumbi não pagava pra entrar no show, e tinha várias pessoas fantasiadas lá, quando fui entrar olhei para a garota que vendia os convites e disse:

– Eu sou um zumbi!!

Ela me responde rindo que “…não, você não é um zumbi!!!”

– Claro que sou, é que morri ha pouco tempo!!!

– Paga a entrada logo vai!!

Pelo menos tentei certo! No fim os zumbis me deram um tubinho de sangue falso que era pra me incentivar a me vestir como morto-vivo nos próximos shows que eu for!

– …hmmmmm acho que não!

Amanhã talvez eu vá para Versalhes ver aquele outro castelão lá… …ou tem também o Museu do Esgoto pra ir, tô na dúvida ainda!

Abrazos!

 

 

The undead, os mortos-vivos, os zumbis franceses são sorridentes e simpáticos!

 

 

 

The Cavaliers on stage!

 


2 Comentários

Da comida e da comida na França

Muito se diz sobre a comida francesa. Muito se diz também sobre como trocar pneu sem machucar a roda do carro, muito se diz sobre criar canarinho da terra que canta que é uma beleza. Isso deixa claro que esse povo fala pra burro sobre qualquer coisa que apareça na frente. Mas isso não vem ao caso. Fato é que um mês atrás eu fui a um restaurante perto de um lugar grandão que tem aqui e que eu esqueci no nome e comi uma coisa que chama Andouillette com mostarda e que é bom pacas. Corte a cena aqui!

Ontem, estava eu passeando no supermarché Franprix quando vi uma coisa que parecia uma morcela, ou morcilla, que é aquele embutido com sangue e tals… …aliás quanto mais sangue envolvido na refeição mais divertida ela fica. Esse negócio de vegetarianismo é maior conversa furada, bom mesmo é kibe cru, carpaccio, churrasco mal passado. Na verdade eu fui vegetariano por uns dois anos, mas me recuperei e agora estou de volta as carnes e também respeito pacas quem é vegetariano porque cada um cuida da sua vida e quem sou eu pra dar pitaco no viver alheio! Leia o livro Libertação animal de um filósofo australiano chamado Peter Singer, é muito bom, lá ele te dá bons motivos para ser vegetariano. Como eu não escuto conselho sigo comendo as carnes todas.

Voltando a morcilla… …vi aquilo no balcão dos refrigerados e não resisti, comprei. Qual minha surpresa quando cortei a primeira fatia, aquela gordinha concava da ponta que começa “o viver” do embutido enquanto comida a ser consumida, o embutido era ruim. Não tinha o sabor que esperava e além do que nem sangue tinha. Deixe de lado e parti para os queijos que esses não tem erro. Corte novamente a cena!

Noite. Patricia chega em casa e resolvemos assar umas lingüiças, muito boas por sinal, que estavam no congelador, como quem não quer nada, e de maneira totalmente inconseqüente resolvi cortar uma grossa fatia daquela morcela horrorosa que de tarde havia experimentado e colocar para assar junto das saborosas lingüiças. Qual minha surpresa ao término do período de forno quando vi aquela rodelinha de morcila ser justamente o Andouillette que havia comido dias atrás.

TODO UM UNIVERSO SE ABRIU EM MINHA MENTE!

Me vi envolto em um turbilhão de sabores, é bom pacas!!! Acreditei que a humanidade era realmente algo a ser considerado como válida, mesmo com o Tiririca eleito, mesmo com a Hebe fazendo show cantando ainda valia apena viver e que a depespeito do que dizem o ser humano não faz só besteira… …ele fez o Andouillette. Corte a cena!

Hoje fui ao supermarché franprix, todo seguro de si para comprar mais um Andouillette e uma mostarda de Dijon, que é o melhor acompanhamento para o embutido em questão. De mostarda em punho paro diante do balcão refrigerado e minha mente congela! Não via nenhum Andouillette a minha frente. Respiração ofegante, ansioso corro os olhos… …e nada!!!

Meu mundo caiu! O Andouillette havia acabado!!! Sem encontrar sentido para a vida, já pensando em virar faquir ou um modelo da Louis Vuitton anoréxico que em suas entrevistas apenas iria repetir incessantemente Andouillette… … Andouillette… …perguntei a mocinha do supermarché se isso tudo era verdade! Se o Andouillette havia realmente acabado.

Ela me responde que não, tá aqui ó!!

Hoje, feliz da vida, asso um Andouillette e vou comer com mostarda que é bom pacas!

Fui!

Canal Saint Martin a noite!!!

Picnic gelado um pouco antes do tal do Andouillette!

Motoca bacana!