Boiando em Moçambique

Desventuras de Rafael Moralez na África


1 comentário

DSC05243

DSC05244

DSC05247

DSC05256

DSC05472

estação

frutas

head

mercado

PB

Tina-2

Anúncios


5 Comentários

A Beira da malária.

Tô com malária! Mas já ta tudo ok, fiz o teste e fui atendido pelo médico da empresa que disse que se eu tomar os oito comprimidos duas vezes ao dia por quatro dias, mais uma cartela de antibiótico e um líquido lá que ele passou em cinco dias fico bom. Agora descanso em meu lar. Mas dá um febrão que meu amigo! Aqui malária rola mesmo, não tem jeito, perguntei para a empregada aqui de casa se ela podia passar um tipo de baygon em meu quarto todos os dias, assim mata o pernilongo, ela respondeu que malária não vem do pernilongo não, perguntei então de onde vinha, ela respondeu que os médicos falam que é do pernilongo, mas não é não!! Tão tá! Iniciei na cozinha para ela um longo discurso sobre a ciência e sua evolução no século XX, a medicina e todos os avanços tecnológicos que terminou em um monólogo para a garrafa d’água em meu quarto. Ela nem tchuns pra ciência!

Fui fazer o exame hoje cedo num posto de saúde local. Vou pular essa parte, acho que não merece ser descrita. O médico que me atendeu foi super gente fina, atencioso, mas é engraçado ser assistido por alguém que fala em sotaque lusitano “A pressão exxxtá 5 por 8 PÀ!!”.

Para se ter uma idéia de como isso é normal aqui, amiga minha perguntou antes de eu vir pra casa que eu tinha, disse que malária, ela respondeu “Ah… …malariazinha!”. Agora além do protetor solar vou ter que usar repelente todo dia, diliça!!!

Uma das coisas que ajuda no tratamento é quinino, então o médico me receitou tomar água tônica, que é bom… …aproveito e coloco umas gotinhas de gin, passo o dia todo com uma taça na mão, de roupão de seda pela casa tomando Gin Tônica, se alguém reclamar respondo que estou em tratamento!!! Ordens médicas.

Fui a Beira, cidade interessante, a arquitetura tem muito de modernismo, e tem muçulmano pra caramba, e eles fazem um barulho desgraçado. Dormi pouco lá, os sintomas da malária começaram a aparecer quando lá estava. Mas gostei tem uma praia muito bonita a uns 50km que chama Savania, bem legal. O interessante foi guiar 600km país adentro, deu pra ver outras regiões e lugares diferentes. Tirei poucas fotos fui em grupo (não gosto de viajar em grupo) e ninguém tava afins de perder 10 minutos no mercado da cidade ou então vendo um prédio diferentoso. Nadei no Oceano Indico, legal né!!

Mas volto lá!

Agora vou ficar aqui com o mestrado que vai ter uma arrancada rumo à linha de chegada, UÊBA!!!

Fui!

Rafa

Praia do lado esquerdo e canal de rio do direito. A foto ficou ruim!

Praia do lado esquerdo e canal de rio do direito. A foto ficou ruim!

A caminho do mar!

A caminho do mar!

Esse lugar é gigante, existem pessoas no rio, mas acho que não vai dar pra ver!

Esse lugar é gigante, existem pessoas no rio, mas acho que não vai dar pra ver!

Uma beer e um fuck you pra não esquecer do rock'n roll!!!

Uma beer e um fuck you pra não esquecer do rock'n roll!!!


Deixe um comentário

Feriadão

Amanhã é feriado aqui em Mountainbike, então vamos para Beira, uma cidade porto que tem umas praias bonitas. Dizem que a estrada é pouco boa, ou muito ruim. Mas compensa encarar qualquer coisa pra mudar de ares.  Depois logo na sequência vou pra Maputo ver umas coisas de trabalho, e depois vou para dez dias de Brasil, onde irei a Assis ver mamãe, papai estará viajando.

Ando ouvindo umas coisas de rock psicodélico que Geraldo Martins me passou antes de eu vir para estas terras. Muito legal!! Legal também são as fotos que ele postou da viagem para Poços de Caldas. Lá vocês podem ver minha irmã Olívia entre goiabadas e doces outros característicos da região… …isso faz falta, goiabada! Pastel de feira também! Tem link pro blog do Geraldo na página que agora você lê! Tá aí do lado esquerdo de deus pai todo poderoso!

Na segunda ainda tem uma visita a Incondetzi e a Angonia, dois povoados a uns 250 km daqui. Dias corridos pela frente!

Hoje não vou falar nada da Àfrica não!

Fui!

Ao som de: Husker Dü

Rafa

O bairro de Matema, ao lado da Zambezes Bridge. Dei uma volta de bike bairro adentro, pra sentir mesmo como é que é a coisa!

O bairro de Matema, ao lado da Zambezes Bridge. Dei uma volta de bike bairro adentro, pra sentir mesmo como é que é a coisa!

.

Duas moedas para o kilo de batata.

Duas moedas para o kilo de batata.

Embondeiro de Katsanha, tem um povo sentado debaixo dele, aperta os zóio aí que cê vê!!!

Embondeiro de Katsanha, tem um povo sentado debaixo dele, aperta os zóio aí que cê vê!!!

Essa é Katsanha!

Essa é Katsanha!


3 Comentários

de escrever

Escrever é bom. Mas as vezes precisa de um tempo ou de um tempo para escrever! Não sei como acontece com quem é “escritor”. Aliás não sei como a pessoa se torna um escritor. Eu acordo e digo, hoje sou escritor, ou então desde pequeno trabalho e estudo para ser escritor, não é assim né!

Tem um monte de gente que se diz escritor e que escreve mal pacas! Por outro lado existem pessoas que não são escritores e que constroem textos magníficos, brilhantes… …como eu por exemplo!!

“Monte de gente” não é uma figura de linguagem interessante! Hoje aqui nem tá quente, mas bateu uma preguiça e tem feriado na sexta! Acho que ficarei em casa… …mestrado sabe!

Dura a vida de um mestrando na Àfrica! Muito complicado escrever uma dissertação e administrar a convivência com leões, rinocerontes e guepardos… …sem falar das ameaças que as girafas representam, sempre com aquele pescoção, sabe-se lá o que elas são capazes! Tem um sujeito aqui no excriptorium que uma vez falou das girafas, e eu disse que elas são elegantes, agora toda vez que ele vai falar alguma coisa de girafa ele diz que elas são elegantes. E fica repetindo ” elegantes e blá, blá, blá… …elegantes e blá,blá, blá…” acho que ele não tem outro adjetivo pra girafa!

Na verdade o único bicho que vi até agora aqui na Àfrica foi lagartixa, igual a que tem no Brasil! Bruta vantajão!!!

Vi um sapinho também, tava no banheiro lá de casa! Mas sapinho e lagartixa não se configuram uma cena muito wild né! Dá até vergonha de falar que veio pra Àfrica e viu um sapinho, melhor ficar quieto e deixar as pessoas pensarem que você lutou pela vida frente a rincerontes e guepardos… …e girafas elegantes!

É isso! De elegante basta eu!

Aproach!!

Rafa

Ao som de: barulho do teclado

Essa é albina, certeza! Na estrada para Chiuta, muito bonita por sinal... ...estrada e árvore!

Essa é albina, certeza! Na estrada para Chiuta, muito bonita por sinal... ...estrada e árvore!

Antiga alfândega, vou começar um álbum de fotos de prédios públicos moçambicanos, vai ser uma sensação! Como diz Nelson, o Rodrigues, vende mais que Chicabon no verão carioca!

Antiga alfândega, vou começar um álbum de fotos de prédios públicos moçambicanos, vai ser uma sensação! Como diz Nelson, o Rodrigues, vende mais que Chicabon no verão carioca!

Caminho para Chiuta, lugar legal, cheguei lá e quando vi que não tinha nada... ...as vezes nada é algo pra se ver! Hoje estou poético... ...quiçá metafísico!

Caminho para Chiuta, lugar legal, cheguei lá e quando vi não tinha nada... ...as vezes nada é algo pra se ver! Muitas vezes nada é a melhor coisa pra ser ver! Hoje estou poético... ...quiçá metafísico!


6 Comentários

Mais uma perna da XIVSGRUNFF Volta Ciclística de Moatize e Grande Tete

Dei um “dirroler” de bikes! (como dizia no interior), ou pedalei um pouco nesse sábado de manhã.

Foi legal! Pedalar é sempre legal!

Fui em um lugar afastado da cidade na estrada que leva ao Malawi, lá tem vários embondeiros e queria fotografar mais alguns. Ventava muito, o que fazia o pedalar um exercício mais pesado que o normal. A bicicleta não oferece muito conforto, na verdade você pedala na velocidade que ela deixa, com a ausência de marchas fica-se refém das limitações do equipamento locomotor. Estou acostumado a pedalar em estrada com bicicletas de 21 marchas, hoje foi uma experiência interessante porque tanto na subida como na descida é ela quem resolve a velocidade. Tá, já falei isso né!!

O lugar dos embondeiros é bem vazio, não tem nada lá, nem casas. Como fui sozinho e queria tirar uma foto diante da árvore, programo a câmera para disparar 10 segundos depois e corro até a bike, porque a distância para que a arvore caiba na foto é grande. Então é meio circense o negócio. Eu tava crente que não tinha ninguém ali, mas eis que quando vejo direito tinha uma galera olhando minha atuação, lógico que todo mundo rindo do branco fazendo pose pra foto sozinho. Me senti meio ridículo e só de raiva fui visitar uma base militar. Lembrar os velhos e bons tempos de Tiro de Guerra… …ô desgraça!!!

Lá fui para a base aérea. Antes mesmo de parar a bicicleta o guarda da guarita já veio em minha direção oferecendo a mão e rindo, nos cumprimentamos como velhos amigos. Perguntei se poderia entrar como quem não quer nada e eles disseram que não sabiam… …houve um momento de debate entre eles, um deles estava interessadíssimo na câmera e dava pra ver a vontade de que eu tirasse uma foto deles. Tirei uma foto, mostrei e disse que eles estavam muito bem na foto, tinha ficado “até bonito”, todos rimos e depois disso foi liberada minha entrada entre risos e apertos de mão efusivos. A galera aqui gosta de uma foto.

È uma base parte abandonada, parte ativa, eles disseram para eu ir só na parte abandonada. Eu fui, e depois fui um pouquinho mais além sabe!! Depois de andar um pouco de bike lá dentro e tirar umas fotos apareceu um cidadão com uma camiseta do Michael Jordan dizendo que eu não podia tirar fotos lá. Puxei papo sobre o Michael Jordan o que não foi correspondido, me despedi dizendo que ia embora e que não sabia que não podia tirar foto dentro de uma área militar. Meio absurdo,mas tá limpo!!

Depois disso tudo passando por Matema, um bairro antes da cidade de Tete, encontrei a relojoaria local do Sr. Aleixo, onde adquiri um belíssimo relógio “Rolax platinum”. Sr Aleixo tem um serviço personalizado que cativa os clientes, tratamento vip. A pulseira estava grande para meu pulso, ele parou as oficinas e fez com que meu relógio fosse ajustado ali mesmo, na hora. Como não virar cliente?

Agora vou estudar!

Apreixes!

Ao som de Slayer – Diabolous in musica

Gostei da placa!

Gostei da placa!

Uma guarita pacífica! Pessoal gente fina!

Uma guarita pacífica! Pessoal gente fina!

e

Pronto atendimento do Sr. Aleixo!

Pronto atendimento do Sr. Aleixo!

e

Rolax, um clássico é sempre um clássico!

Rolax, um clássico é sempre um clássico!


5 Comentários

Ainda sobre dores de barriga e outras coisas que dão dor de barriga!

Parabéns man!

Aqui é assim! Toda semana alguém chega ou vai embora, ou faz aniversário, ou completa um ano de vida em Mótrambique, ou é aniversário de namoro da tia avó, ou tá muito quente mesmo então tem que sentar em algum lugar pra beber algo gelado. Como os refrigerantes esquentam rápido a gente toma cerveja mesmo. Mas eu tenho me comportado!

E conversando com uns amigos dias atrás, estava muito quente naquele dia e por coincidência comemorava-se bodas de ouro do casamento do fiscal de imposto de renda que multou um dos presentes a mesa. Tomava-se cerveja!! Como deixar tal data passar em branco? Mas conversámos sobre algo que todos temos em comum aqui, a dor de barriga! Um dos presentes disse que quando ela não vem até sente falta, outro comentou que acha bom de vez em quando dar uma soltada no intestino porque a comida aqui é muito dura!! Mas se a comida é dura então porque… …xá pra lá!

Um deles comentou que teve dores de barriga durante seis meses, hoje está tudo ok. Não é bonito isso, seis meses e agora é só alegria, não vejo a hora disso acontecer comigo. Tô que não me aguento de vontade de passar por essa experiência!! Bom… …vou voltar ao trabalho!

Encontrei uma brasileira que está aqui a 26 anos, casou com um moçambicano e vive a alegria de ser uma estrangeira quase nativa. Ela enche o peito e diz com todo orgulho que se sente moçambicana e que nem tem mais documentos brasileiros. Sei lá se isso é possível. Ela gosta tanto que passou uma meia hora falando bem dessa terra e do povo que nela reside, dizendo que o Brasil não é lá essas coisas. Argumentei que ela estava equivocada, que o Brasil é mais avançado e desenvolvido em diversos pontos embora ainda  exista muita pobreza e blá, blá, blá… …mas não adianta, ela é gosta mesmo é daqui. Ela “acha lindo” o povo ser atrasado, e não compreender raciocínios mais complexos pois mostra a “simplicidade” de uma nação, ela disse que os brasileiros tem muito ainda o que aprender com um povo paciente como o moçambicano. Um povo que passa fome e aguenta o inverno todo ano sem ter o que comer, e não faz nada para mudar isso tudo. Um povo que gosta de receber as coisas de graça, de mão beijada, um povo que não é dado ao trabalho. Embora na bandeira do país tenha uma enxada e um fuzil AK-47.

É… …acho que ela encontrou seu lugar no mundo!

fui!

rafa

Não sei se vai dar pra ver direito nessa foto, mas essa árvore é albina… …tá, não é assim “albina, albina!!!” mas ela diferencia-se das outras, é um verde diferente! Ao vivo é muito bonita!
Não sei se vai dar pra ver direito nessa foto, mas essa árvore é albina… …tá, não é assim “albina, albina!!!” mas ela diferencia-se das outras, é um verde diferente! Ao vivo é muito bonita!

Esse é albino!
Esse é albino!


3 Comentários

Katsanha ou Catsanha ou a dor de barriga como futuro inevitável!

Aqui em Mountainbike tá tudo bem! Tá quente! Tá bem quente!

Tá quente pra caramba!!!

E dizem, os brasileiros que cá estão a mais tempo, que ainda nem chegou no pico, no greatest hit, no supra-sumo, na cereja do bolo, na geléia na torrada que é o quente super-ultra-turbo!

Mas é quente de um jeito que coloca você em velocidade lenta. Não dá pra sair no sol de rolê, tem que esperar, ou entrar nas caminhonetes e ligar o ar condicionado no máximo, mesmo assim dá calor!

Mas pra dormir é diferente, porque fica quente, mas tem a vantagem de ter pernilongo a noite inteira!!

ô diliça!!!!

Fui a um povoado rural chamado Catsanha, ou Katsanha. Rodamos por mais ou menos uma hora por estrada de terra e lá no meio do nada eles estavam lá! Vivendo, dançando e cantando! Tem criança pacas no lugar. Com a nossa chegada (eu, mais uma consultora da Vale e dois moçambicanos) tudo se movimentou no lugar que parecia deserto, apareceram dezenas de crianças. Tudo gente boa, mas não falam português, só Inhungue! Tirei uma foto da criançada e mostrei na telinha da câmera, surpresa geral, depois disso me seguiam onde quer que eu fosse!

 

Veja o vídeo.

http://www.youtube.com/watch?v=K6SZIB0X49Q

 

O melhor foi lá no meio do nada surge um cidadão com farda militar toda pomposa. É que o presidente de Moçambique estaria no aeroporto de Moatize em campanha eleitoral, eles iam receber lá o tal do Presidente Guebuza. O cara faz campanha pra reeleição, continua sendo presidente em atividade e faz uso de todo aparato material do estado pra campanha numa boa! Aqui é assim!

A música e a dança foram bem legais. Registrei e vou por no youtube porque aqui não consigo colocar vídeos. O curioso é que ali a música não era percussiva mas sim melódica, com flautas parecidas com as peruanas e umas base ritmica feita com chocalhos. Gostei!

E toda semana tem o “dia da dor de barriga”, o meu dia foi ontem. E dói hein! Mas é normal… …uma diarréiazinha aqui, outra ali… …ah o viver africano!!

Falous

 

Rafa

Ao som de Talking Heads – Naked

Ninguém fala português, mas fiz aquele famoso "junta aê que vou bater uma foto!" e todo mundo entendeu, legal!!!
Ninguém fala português, mas fiz aquele famoso “junta aê que vou bater uma foto!” e todo mundo entendeu, legal!!!

Esse cara é gente fina!!!

Esse cara é gente fina!!!